[Review] TC Electronic Flashback Delay and Looper

Conheça o pedal de efeito TC Electronic Flashback Delay and Looper e veja se vale a pena comprar.

 

Introdução ao Flashback Delay

TC Electronic Flashback Delay and LooperO review de hoje será sobre um pedal que faz muito sucesso desde seu lançamento há alguns anos. O Flashback Delay and Looper fez tanto sucesso que a a fabricante (TC Electronic) lançou sua versão X4 (quase como se fossem 4 pedais em 1). Rapidamente a TC Electronic caiu no gosto popular, muito mais pela ousadia e endorsees de alto escalão do que propriamente pela inovação (estou correndo o risco de magoar muita gente falando assim).

Isto não quer dizer que não goste dos produtos da marca. Até porque em seu catálogo, o fabricante tem pedais de altíssima qualidade. O Flashback Delay é um deles, uma stompbox cheia de recursos. O preço não é dos melhores, mas é possível encontrá-lo em valores próximos aos seus concorrentes diretos.

 

Características do Flashback

O pedal é montado num gabinete de metal muito compacto e bonito, true bypass, estéreo, vários simuladores de delays famosos e ainda de brinde tem um looper.

Apresentação feita, vamos a uma análise mais detalhada:

 

I – Robustez/Durabilidade:

Sua construção metálica e compacta transmite muita confiança. Sua chave de aço de altíssima qualidade também é destaque. Nota máxima neste quesito.

 

II – Recursos/Simulações:

De tamanho compacto, este é um dos pedais mais cheio de recursos do mercado. Ele dispõe de uma chave que serve para controlar unidade de tempo da repetição. Isto é um recurso interessante, pois amplia as possibilidades de encaixar o delay em tempos de música mais complexos.

Ele também possui uma série de simulações de delays famosos.  Vamos enumerar cada um deles:

a) 2290 – Digital Delay:
Trata-se de um simulador do clássico circuito TC 2290;

b) ANA – Analog:
Simulador de delay analógico, que tem como característica uma degradação progressiva das repetições. Esta degradação ao contrário do que muitos podem pensar é perfeita para tocar diversos estilos musicais, até porque na época foi usado delays analógicos;

c) TAPE:
Simulador de delay de fita, que degrada ainda mais o som, perdendo os agudos a cada repetição, como acontecia nos tradicionais ecos de fita do passado;

d) LOFI:
Trata-se de um delay de baixa fidelidade, com uma alteração de timbre bem interessante e diferente;

e) DYN – Dynamic:
Simulador de um delay dinâmico também baseado no TC 2290. A velocidade do delay depende da dinâmica da palhetada, o que é muito interessante em diversas situações;

f) MOD – Modulated:
Adiciona um vibrato ao delay;

g) P.PONG – Ping Pong:
Clássico efeito de delay estéreo, no qual as repetições alternam pelas saídas left e right;

h) SLAP:
Delay bastante curto ideal para funky guitars ou rockabilly.

i) RVS – Reverse:
As repetições são sampleadas e invertidas na saída, fazendo um efeito bastante diferente.

j) LOOP:
O Flashback Delay também é um Looper. Ele pode gravar loops de 40 segundos em mono e 20 segundos em estéreo. Este é um efeito bastante interessante, principalmente para estudar improvisação. Você pode gravar algum riff ou sequência de acordes, mandar reproduzir e sair improvisando em cima.

k) Tecnologia TonePrint:
A TC Electronic desenvolveu também a tecnologia TonePrint para grande parte de seus pedais. Este recurso consiste em um software que permite compartilhar regulagens e timbragens dos pedais. A grande “sacada” da marca ao desenvolver esta tecnologia é do ponto de vista de marketing. Diversos guitar heroes são endorsees da TC Electronic e disponibilizam suas timbragens para download no site. Assim, quem tiver um pedal da marca, poderá clonar os timbres de diversos guitarristas famosos.

 

III – Equipamentos utilizados nos testes:

Para os testes, utilizei meu amplificador 100% valvulado Black Cat Bone da Tubeamps ligado numa caixa Landscape SPDT-112 e também um combo transistorizado Fender Frontman 25R. Utilizei também as guitarras Tele, Explorer e Axis da Strinberg.

 

IV – Pra quem é destinado (recomendado) o Flashback Delay?

Se você quer um pedal com tantos recursos de eco e ainda gosta muito de clonar regulagens de guitarristas famosos, este é o pedal de delay certo! Se você está atrás somente do looper, FUJA DESTE PEDAL!!! (Risos). É que o looper dele é mais um brinde, não é o objetivo principal. Para tal, a própria TC Electronic dispõe de outro pedal o DITTO Looper.

 

V – Pontos positivos e negativos do Flashback Delay

Pontos positivos: o ponto mais positivo deste pedal é a imensa quantidade de recursos. Se for contabilizar a quantidade, pode-se de dizer até que o custo-benefício do pedal é alto, só abro um parêntese para dizer que boa parte das simulações de delays são praticamente inúteis no dia-a-dia do músico. Destaque também para a construção e qualidade geral da marca. Neste ponto, qualidade dos materiais, os pedais da TC Electronic são impecáveis.

Pontos negativos: existe um ditado que é o seguinte: “toda vez que tentamos colocar muita gente debaixo do mesmo guarda-chuva, invariavelmente alguém (ou muitos) sairá molhado”. Na minha humilde opinião, foi isso que aconteceu com este pedal. Os projetistas se empolgaram demais na quantidade, mas nem todos os recursos são satisfatórios. Alguns são verdadeiros “quebra galhos” como o looper.

 

VI – Conclusão:

No geral, o pedal cumpre bem o seu papel e vale o que custa. Para mim, o grande destaque foi o Dynamic Delay e o Analogic. Apesar de não ser um grande usuário de delays, gostei muito do controle do feedback (unidade de tempo da repetição), pois amplia as possibilidades de uso.

 

NOTAS (de 1 a 10):

Design/Aparência: 9
Construção/Robustez: 10
Ruído: 10
Controles: 9
Simuladores: 7
Looper: 4
Versatilidade: 8
Custo-benefício: 8

MÉDIA/NOTA FINAL: 8,13

PONTUAÇÃO: Péssimo (1-2), Ruim (3-4), Bom (5-6), Ótimo (7-8), Excelente (9), Excepcional (10)

Obs.: Vale lembrar que um equipamento cuja MÉDIA/NOTA FINAL fique em 6,0 até 7,9 pode ser considerado um equipamento satisfatório, e com pontuação de 8,0 em diante, poderá ser classificado como de uso profissional.

Um abraço e até o próximo artigo!

 

Elvis Almeida

Elvis Almeida