• Home »
  • Dicas »
  • [Artigo] Pedais de efeitos para guitarra: existe ordem correta?

[Artigo] Pedais de efeitos para guitarra: existe ordem correta?

O guitarrista Raphael Ticle dá suas dicas de como configurar seu rig de pedais de efeitos

 

Pedais de efeitos guitarra: existe ordem correta?Ordem dos pedais de efeitos

Já li vários artigos sobre ordem de efeitos e sempre me deparo com o mesmo problema na maioria. Muita regra e pouco esclarecimento. O ótimo artigo sobre boosters (leia aqui o artigo sobre pedais de boosters na Central da Guitarra) me inspirou a escrever esse artigo sobre a famigerada ordem dos efeitos.

Quando encadeamos efeitos, temos que ter em mente comos ele vão interagir com o resto do equipamento. Até aí nada novo! Todos os outros artigos falam isso. Um bom exercício é pensar: o que está entrando nesse pedal? O que vai sair? Como o próximo elemento da cadeia vai reagir com esse sinal? Quando pensamos assim, a ordem dos efeitos se torna menos “decoreba” e mais funcional, lógica e intuitiva. Tendo isso em mente, a minha única regra é a funcionalidade dos efeitos! Na minha cadeia a ordem é essa e eu vou explicar o porquê.

 

Fuzzes

Transisores de germânio são chatos e frescos com o sinal que chega neles. A idéia aqui é jogar o sinal de impedância alta (bem fraquinho…) em cima do fuzz para que ele funcione como um fuzz (ridiculamente dinamico e cheio de harmonicos). Um fuzz que recebe um sinal de impedância baixa (sinal forte) funciona como uma distorção e acaba perdendo o propósito de um fuzz. Tem uma caixinha que aumenta a impedância de um sinal forte pra você poder usar seu pedal Boss ou wha antes dos fuzzes. Nunca usei então não posso dizer que funciona.

Afinador

Muita gente usa TU-2 e TU-3 e não abre mão por nada. É uma boa posição porque o buffer de saída não afeta os fuzzes e ainda dá um gás no sinal pra enfrentar os “mil quilômetros” de cabos que ele ainda vai viajar. Os afinadores gostam de um sinal limpo, por isso eles vêm no começo da cadeia.

 

Pedal de volume, Wha, compressor

Não uso pedal de volume, wha nem compressor, mas se usasse, eles viriam aqui.  O pedal de volume nesse ponto da cadeia faz o seu ganho dos drives diminuir. Eu uso o volume da guitarra pra isso. Os compressores diminuem a dinâmica do som. Eu prefiro fazer isso antes das distorções, porque o sustain que eles proporcionam soa mais natural aos meus ouvidos colocados antes das distorções. Para sons limpos e com o intuito de deixar  som estalado, eles funcionam bem no loop de efeitos. O compressor depois das distorções ou no loop de efeitos dá uma “masterizada” no som e eles tendem a limar alguns agudos, alem de aumentar o ruido naturalmente presente quando se usa ganho alto. O wha antes das distorções dá um efeito mais vocal e natural, então eu prefiro ele aqui. Após as distorções o efeito é super dramático e soa mais robótico.  Auto whas gostam de ver o som limpo de guitarra porque funcionam com a força do ataque da palheta. Se ele recebe um som distorcido e comprimido, ele entende que a força é da palhetada é constante, e não abre e fecha o filtro. O wha nada mais é do que um filtro dinâmico. Ele muda as frequências a medida que o você mexe o pé causando um efeito de uuuuaaaáááá e o efeito do phaser é parecido mas ocorre de forma cíclica.

Chorus, flanger, univibe e phaser

Terror. Horror. Sangue. Medo. MODULAÇÕES ANTES DOS DRIVES E DISTORÇÕES? Sim! Todo mundo torce o nariz mas aposto que a maioria que está lendo nunca usou desse jeito. E nunca lembra que o Eddie Van Halen e o Alex Lifeson não tinham loops de efeitos e nem tocavam com pedais de distorção pra colocar as modulações depois. Era tudo na cara do amp, que por sinal estava alto e distorcido. Se você está tendo dificuldades em achar a regulagem ideal e de “color” e “mix” no seu flanger e phaser pra ter um efeito mais sutil, experimente colocar ele antes das distorções! Aqui, o gosto do guitarrista entra mais em jogo ainda.

Fiz um vídeo demonstrando a diferença entre usar modulações antes e depois dos drives.

Overdrive ou Boost sujo ou EQ

Costumo alternar entre OD e um boost sujo dependendo do meu humor. Como eu já disse, o que importa é a funcionalidade. O OD é alguma coisa baseada em tubescreamer, que e dê aproximadamente 7 ou 8 db de volume extra, com pouca “sujeira”. O boost sujo não é necessariamente distorcido mas um boost que dê essas mesmas caracteristicas. Nesse caso um treble boost, boost de médios ou até mesmo um EQ faria o serviço. Jogar a guitarra com fuzz em cima de um efeito assim costuma ser benéfico. A curva de equalização do overdrive amacia o som do fuzz e deixa ele menos aspero, muito util para amps completamente limpos. Dave Gilmour faz isso desde sempre!

 

Mais boost!!

Tenho um EP Booster e um Boss BF-2 na minha cadeia. Coloco eles nessa ordem EP > BF-2 porque o BF-2 tem mais headroom que o EP. Isso significa que os 7 ou 8 db’s do EP não vão distorcer o circuito do BF-2. Então eu consigo os 7 ou 8 db do EP mais ou 7 ou 8 do BF-2. Além disso o EP é mais transparente que o BF-2. Ligando os 2 juntos eu tenho aproximadamente 16 db de boost com uma generosa ênfase nos médios. Amplificadores distorcem médios muito bem!

Eu regulo meu amp com um som sujinho no pré. Se eu abaixo um ponto no volume da guitarra ele limpa o suficiente e se eu preciso de mais distorção, uso um boost mais limpo. O boost de médio com ganho fica para o leads, e fazem a guitarra cortar na mix melhor. Como o amp já está saturado, os boosts não aumentam o volume do amp, mas sim a quantidade de distorção!
Pure Plexi EFX - O clássico timbre britânico aos seus pés! Compre já!

Overdrives e distorções

Não costumo usar distorções ou drives de pedal, mas se usasse, eles viriam aqui. Nesse caso, estou considerando que os ODs e as distorções servem de timbre base. Um amplificador limpo e transparente serve como uma folha em branco para colorir o som com os pedais da sua preferência. Distorções vindas de pedais tem suas vantagens e desvantagens mas eu acho a praticidade a maior das vantagens.

 

Aqui vem o “Send” do meu amp

Eu coloco um EQ aqui por 2 motivos. Segurar o volume do amp em casa, e fazer um ajuste fino do timbre para se adequar ao lugar que estou tocando. Pedais de EQ caem bem em qualquer lugar da sua cadeia, basta saber o propósito.

 

+1 (mais um) Boost

Limpinho, cristalino. O que entra sai igual, só que mais alto. O vocalista da minha banda tem uma voz super potente (bom pra mim!) e toca guitarra. E teclado. E meu batera é barulhento. A gente toca rock. Mentira. A gente toca ROCK. E como bom guitarrista com o ego maior que a barriga, eu quero que me ouçam quando eu solar. Eu piso no pedal e ganho de 5 a 8 db de puro “showmanship”. Meu som em particular é carregado de médios e eu não sinto necessidade de adicionar mais médios aqui. Para quem toca sons pesados e usa pouco médio nas bases, um boost com médios é uma ótima pedida nesse ponto da cadeia pois dá um destaque dramático na mix da banda.

 

Pedal de volume, Tremolo e rotary/leslie

Nunca uso o tremolo e leslie juntos então qual vem antes ou depois não importa. O efeito de modulação de volume tende a desaparecer se colocado antes das distorções. O efeito “compressivo” dos drives faz com que a quantidade de distorção aumente e diminua ao inves do volume pulsar. Já vi gente colocando tremolo por ultimo na cadeia fazendo até os delays e reverbs pulsarem e dar um efeito mais dramático ainda. O simulador de leslie ou rotary funciona bem aqui porque ele dá uma coloração desejada no som final. Antes dos drives, essa coloração sumiria na distorção. O pedal de volume aqui diminui o volume mantendo os ecos dos delays. Carinha de profissa no seu som.

 

Delay

Meu som já está “pronto” nesse estágio. Por isso eu quero que ele repita. Denovo… e denovo…. denovo, denovo, denovo. Gosto de delays digitais e analogicos e acho que cada um tem uma aplicação.  Delay, boosters e headroom são assuntos que rendem mais um artigo tambem!

 

Reverb

No fim de tudo, pra eu achar que estou tocando numa arena gigante e não num boteco pra meia dúzia de bêbados. Tem gente que coloca os efeitos de ambiência em outras posições mas eu sou conservador nesse aspecto. Gosto deles para dar ambiência e uso bem pouco.

 

Return e estágio de potência do amp

Essa cadeia que descrevi leva em conta que o amp está rodando com a potência limpa e com headroom suficiente para rodar um boost de volume e delays e reverb sem distorcer. As válvulas de saída dos amps ficam comportadinhas e estáveis se o amp está baixo, vão comprimindo e cortando os picos do som a medida que se aumenta o volume e saturam se o amp está alto. Quando isso ocorre? Bom, varia de amp pra amp.

 

Um abraço e até o próximo artigo!

 

Raphael Ticle

Raphael Ticle